Entenda as taxas do seu cartão de crédito

cartões de créditos na maquina

O mercado consumidor tende a flutuar, conforme a economia, e quem acompanha as taxas de cartão de crédito sabe que é um aspecto que demanda atenção, mesmo que seu uso seja uma solução em determinados momentos da vida, desde que utilizado de forma inteligente.

Os cartões de créditos podem oferecer grandes vantagens, bem como possibilita que você ganhe vantagens e recompensas por suas compras, como é o caso das milhas. 

Eles também servem como ferramenta para a construção de crédito diante de instituições financeiras, bancos e demais órgãos, o que pode ser importante quando chega a hora de comprar um veículo, ou até mesmo a casa própria. 

No entanto, existem alguns riscos envolvidos o uso desse valor disponibilizado em forma de plástico e, caso você esteja procurando saber mais sobre essa facilidade de compra e como aproveitá-lo de forma mais segura e eficiente, continue a leitura, pois é muito importante conhecer as tarifas envolvidas no uso e liberação do crédito – que consiste em um valor que não necessariamente se tem disponível, sendo um dos principais fatores que demandam atenção.

Assim, figuram entre as principais taxas e serviços do cartão de crédito que as empresas costumam cobrar:

  • Anuidade;
  • Aumento emergencial de limite
  • Pagamento de boleto via cartão;
  • Parcelamento da fatura;
  • Saque;
  • Segunda via do cartão de crédito;
  • Juros por atraso.

Para evitar qualquer risco e se perder nas contas e no orçamento doméstico, ou mesmo dentro de um empreendimento pessoal, é preciso estar ciente de situações que podem tornar os cartões de crédito um perigo. 

Dessa forma, é preciso apresentar os erros que você deve passar longe, para que possa utilizar com sabedoria e aproveitar todas as vantagens, benefícios e recompensas que um cartão de crédito oferece.

Endividamento com cartão de crédito

Se você tiver a atitude errada em relação ao uso de cartões de crédito, pode ser fácil utilizar mais do que realmente pode pagar. 

O limite de crédito de um cartão deve ser pensado como um empréstimo concedido a você por um provedor, uma instituição financeira. Não se trata de dinheiro “grátis” para gastar, ou que sejam realmente de sua propriedade.

O saldo do cartão de crédito geralmente vem com taxas de juros, e toda vez que você aumenta o saldo e não paga de forma integral dentro do ciclo de cobrança, que usualmente é mensal, terá que pagar muito mais e, pior, além do que realmente gastou, podendo criar uma “bola de neve” se não houver disciplina no uso. 

Isso é, são juros cobrados e que podem dificultar a saída da dívida do cartão de crédito, visto que são somados e acumulados

Como exercício financeiro, basta pensar da seguinte forma: se o limite do crédito do seu cartão é de R$1.000, isso não significa que o gasto deve ser o total dentro de um mês. A não ser que saiba como pagar a fatura integral imediatamente ao vencimento.

Quer saber a melhor saída? Esteja atendo aos seus gastos e certifique-se de não gastar mais do que realmente consegue pagar. 

Se você tiver dificuldades em verificar o saldo do cartão de crédito, as instituições oferecem central telefonica na nuvem, podendo atender a chamadas dos clientes de qualquer parte do território nacional, e também daqueles que estão em viagem ao exterior. Ter controle dessa informação é muito importante para a organização financeira e ter noção dos limites disponíveis.

Já para o gerenciamento geral contábil, considere criar um orçamento mensal e descobrir quanto você pode gastar por mês no cartão de crédito, e tente não exceder esse valor. 

As lojas virtuais de celulares e mesmo o computador disponibiliza diferentes aplicativos e ferramentas que podem lhe ajudar a acompanhar os gastos mês a mês. Ou se for mais do tipo “faça você mesmo”, crie uma planilha simples ou uma lista de despesas mensais.

Seja no computador ou em um caderno, o mais importante é manter um registro dos gastos e estimar os recebimentos e pagamentos fixos, o que facilita um melhor controle no momento de usar o cartão, visto que é mais fácil considerar os valores que estarão disponíveis para tal pagamento.

Falta de pagamento para instituições de crédito

O seu histórico de pagamento é um dos maiores fatores que contribuem para a sua pontuação de crédito junto às instituições que fornecem esse tipo de serviço. 

Logo, a falta de pagamento pode ter um sério impacto com o passar do tempo. Além disso, se você perder um pagamento, normalmente será cobrada uma taxa pelo parcelamento da fatura. 

Somado a multas e juros, isso pode virar uma bola de neve que ninguém quer estar envolvido, pois o que era um valor “baixo” se torna algo que perdura por longos meses, e em alguns casos, até mesmo anos.

O pagamento atrasado pode ser relatado às agências de crédito ao consumidor, como o SERASA, órgão ligado às instituições financeiras, e ao SPC (Serviço de Proteção de Crédito), que disponibiliza os dados de compradores para comerciantes e lojistas, criando perfis de “bons” ou “maus” pagadores, o que impacta diretamente no consumo e liberação de créditos.

Uma maneira de evitar esse tipo de problema é colocar, mais uma vez, a tecnologia a favor, e configurar pagamentos automáticos. 

Com o pagamento automático das faturas, é possível evitar taxas de cartão de crédito, reduzindo a preocupação em esquecer de pagar sua conta, além de, quando necessário, fazer laudo de transferência para cobrir todas as contas junto ao banco, melhorando o ranqueamento.

De uma maneira responsável, é necessário garantir que haja o valor suficiente na conta quando o pagamento automático for acionado. 

Outra ideia é configurar lembretes e alarmes via celular, que os próprios aplicativos digitais das instituições financeiras disponibilizam, para quando a fatura mensal estiver quase vencendo e, assim, garantir o pagamento em dia. 

Veja também:

Como pagar boleto com cartão de crédito

Saldo devedor pode incorrer em juros pesados

Se você carregar um saldo a pagar para o próximo mês, a taxa de juros se mostra significativa, ainda mais em um cenário cuja economia varia por diversos fatores, tanto internos quanto externos. 

As taxas de juros de um cartão de crédito podem variar dependendo da instituição financeira e de outros aspectos econômicos, mas invariavelmente são altas. 

Os juros anuais de um cartão de crédito, no Brasil, podem chegar a 300% em um ano, chegando a um patamar absurdo de até 875%, segundo a Proteste (Agência Brasileira de Defesa do Consumidor).

Caso você esteja com o saldo devedor alto e tenha problemas para pagá-lo, uma opção a se considerar é solicitar a avaliação junto a órgãos de defesa do consumidor e parcelar a dívida com juros mais baixos, seguindo diferentes indicativos financeiros. 

A melhor maneira de evitar juros abusivos e tão altos é tentar pagar o saldo do extrato do cartão de crédito de forma integral e em dia, todos os meses. 

Por isso, um planejamento orçamentário, inclusive com a possibilidade de consultoria imposto de renda para verificar se há alguma restituição por parte da Receita Federal, pode ajudar a equilibrar as contas. 

Solicitar muitos cartões de crédito ao mesmo tempo

Quando você solicita um novo cartão de crédito, geralmente os emissores verificam o histórico dos clientes junto a outras instituições financeiras. Essa busca é normal e aparece posteriormente em outros relatórios de órgãos como o próprio SERASA e SPC.

Caso a consulta demonstre irresponsabilidade, isso diminui os pontos utilizados como parâmetro utilizado por cada instituição. 

Para quem solicita cartões de crédito de forma insistente, as próprias emissoras podem entender isso como desespero, e até mesmo despreparo em relação ao orçamento pessoal. 

Muitas empresas que trabalham com esse tipo de serviço comparam o perfil pessoal do candidato a um cartão de crédito com outros membros, aqueles que possuem características parecidas como:

  • Faixa etária;
  • Histórico bancário;
  • Localização;
  • Salário.

De acordo com a situação da economia do país, e até mesmo crises de caráter mundial, podem influenciar na solicitação de muitos cartões de crédito, envolvendo até mesmo a taxa mais simples, como a anuidade cobrada para a manutenção do serviço.

Tentar usar sempre além do limite do cartão

A pontuação de crédito pode ser afetada negativamente se você tiver uma alta taxa de utilização do limite do cartão de crédito, indo além do disponível pela instituição financeira. 

Caso você seja um empreendedor que está pensando em investir no crescimento da empresa, e busca comprar empilhadeiras semi novas para agilizar a mobilidade interna e a logística, talvez o cartão de crédito não seja a melhor solução como forma de pagamento se não houver um planejamento adequado para essa compra.

Nesse caso, outra possibilidade – que também deve ser avaliada no detalhe – é pesquisar sobre financiamentos bancários que estão à disposição em bancos e financiadoras de veículos. 

Até mesmo as emissoras de cartão de crédito contam com um programa específico para atender da melhor forma os clientes. 

De qualquer forma, o índice de utilização é um indicador importante de risco de crédito. Os credores acreditam que, quando você atinge ou excede o limite de crédito, o mais provável é que tenha problemas para reembolsar o dinheiro de algum com uma taxa de utilização baixa. 

Isso se apresenta como um cenário mais arriscado para os emissores de crédito, e então eles se mostram menos propensos a aprovar um novo crédito para você e, provavelmente, receber taxas de juros mais altas. 

Uma regra eficiente, nesse caso, é manter uma utilização de crédito abaixo de 30%, o que garante o pleno uso de forma mais saudável para as finanças (de modo geral), e permite uma variação de segurança para emergências.

Além disso, se sua taxa de utilização de crédito estiver mais alta do que você gostaria, é preciso considerar ao emissor um aumento no limite de crédito.

Tudo isso deve ser considerado, estando dentro do planejamento orçamentário pessoal, limitando os gastos para não exceder dentro de um prazo apertado. 

Conclusão

As taxas de cartão de crédito estão associadas ao uso inconsequente e, para evitar isso, é possível minimizar os impactos seguindo princípios básicos de economia doméstica, pessoal e familiar. 

Assim como em qualquer outra forma de crédito, é melhor evitar a complacência e manter um senso de disciplina. 

Com isso você descobre que um mínimo pode ajudar muito na sua pontuação de crédito e obter diversas vantagens oferecidas pelas operadoras sem comprometer a saúde financeira.

Gostou do artigo? Compartilhe nas suas redes sociais para transmitir informação sobre o mundo financeiro para seus amigos e para ver mais conteúdos como este acesse o site do soft4you!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe este conteúdo

Similar Posts