Saiba quais estão sendo as motos mais vendidas de 2022

Conheça os principais modelos vendidos nos primeiros meses do ano

As motos têm se tornado cada vez mais queridas entre os brasileiros. Em 2021, foram vendidas 1.157.369 unidades, número que representou um aumento de 26,42% em relação a 2020, quando foram emplacadas 915.473 unidades.

Com isso, a expectativa para 2022 é que o mercado continue em um momento de crescimento. Mas quais seriam as motos famosas do início deste ano? Confira quais foram os modelos mais vendidos nos primeiros meses de 2022.

Vendas em janeiro

No primeiro mês de 2022, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) registrou uma queda de 20,2% na venda de motos em relação a dezembro. Nesse período, foram emplacadas 89.685 motocicletas, ciclomotores e scooters, contra 112.401 de placas emitidas em dezembro.

Nesse mês, o modelo mais vendido foi a Honda CG 160, com 23.938 unidades. A fabricante acabou dominando o top 5 de janeiro, que ainda teve 12.571 modelos da Honda Biz comercializadas; 9.585 unidades vendidas da Honda Pop 110i; e 9.350 unidades vendidas da Honda NXR 160 Bros. Fechando o ranking das cinco mais vendidas nesse mês, está a Yamaha YBR 150 Factor, que vendeu 3.510 unidades.

Vendas em fevereiro

Já no mês seguinte, que teve apenas 19 dias úteis, a Fenabrave registrou um número de 74.065 motocicletas emplacadas. Esse é um valor que é 17,41% menor que o de janeiro. No entanto, ao ser comparado com fevereiro de 2021, houve um aumento de 28,98% no número de emplacamentos, indicando uma recuperação do setor no início deste ano.

Os dois primeiros lugares mantiveram-se os mesmos: a Honda CG 160 emplacou 18.967 unidades, acumulando um total de 42.905 modelos vendidos em 2022. A Honda Biz teve mais 9.383 novas unidades emplacadas, totalizando 21.953 comercializadas este ano.

Em fevereiro, a Honda NXR 160 Bros foi a terceira mais vendida, com 8.178 (total de 17.258). Isso foi suficiente para que ela ultrapassasse a Honda Pop 110i, que comercializou 7.406 unidades e vendeu 16.991 modelos neste início de ano.

Já a Yamaha YBR 150 teve uma queda de desempenho, sendo apenas a 10ª mais vendida no mês com 1.958 emplacamentos. Com isso, a quinta motocicleta mais vendida no ano passou a ser a Yamaha NMAX, que vendeu 2.248 unidades em fevereiro e 5.479 em todo o ano, contra 5.468 da YBR.

Por que o sucesso?

Alguns motivos ajudam a explicar o sucesso desses modelos no cenário nacional. A Honda CG é vendida em quatro versões — começando pela Start e indo até a Titan, que é a mais equipada — e recentemente passou por um upgrade no visual, que a tornou ainda mais atrativa. Ela também é conhecida por ser sinônimo de robustez e por ter boas características quanto ao consumo de combustível.

Já a motoneta Honda Biz se destaca pela facilidade de pilotagem que ela proporciona para o condutor. Vendida tanto nas versões 110 cc quanto 125 cc e equipada com embreagem semiautomática e câmbio rotativo, ela também chama a atenção pelo espaço existente sob o assento.

A Honda NXR 160 Bros é considerada a “Honda CG Rural”, tendo o mesmo motor da moto mais vendida no Brasil neste ano. A principal diferença é que ela tem uma estrutura mais robusta, justamente para aguentar transitar em estradas de terra.

Por sua vez, a Honda Pop 110i tem várias qualidades que a tornam uma escolha interessante para os motociclistas. É o modelo mais em conta da Honda, tendo um preço mais acessível em relação aos demais modelos, e é fácil de pilotar. Soma-se a esse pacote o fato de ela ter o mesmo motor da Biz 110 e o câmbio manual de quatro velocidades.

Por fim, a Yamaha NMAX apresenta algumas das tecnologias exclusivas da categoria. Ela tem um comando de válvulas variável (VVA), que melhora o desempenho, e possui um menor consumo de combustível. Outro fator que melhora o desempenho do motor é a presença do cilindro em DiASil.

Se gostou desse conteúdo compartilhe com pessoas que podem gostar dessas dicas. Continue acompanhando o 4You Finanças para mais dicas sobre gestão financeira.

Compartilhe este conteúdo